fbpx

Auxílio emergencial: Veja como solicitar e tire suas dúvidas

O auxílio emergencial foi criado no dia 02 de Abril de 2020, a partir da Lei 13.982, onde desde então vem beneficiando diversas famílias.

Essa lei veio para estabelecer medidas excepcionais de proteção social, adotadas durante o período do novo Coronavírus – Covid-19, responsável pela pandemia que deu início no ano de 2019.

Já que diversos brasileiros perderam sua única fonte de renda depois que inúmeros comércios fecharam e foram obrigados a demitirem parte dos funcionários, por falência ou corte dos gastos.

Além muitos trabalhadores terem sua renda diminuída, através de acordos entre empregado e empregador referente a diminuição do salário do empregado.

Segundo a Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, mais de 24 milhões de brasileiros já receberam a primeira parcela do auxílio emergencial. Cerca de R$ 16,3 bilhões investidos!

A agilidade e a segurança do auxílio são fruto de um trabalho estruturado pelo Governo Federal, conduzido pelos ministérios da Cidadania e Economia, além da Dataprev, Caixa Econômica Federal e a Receita Federal, que é responsável pela regularização de mais de 13,6 bilhões de CPF’s.

O que é auxílio emergencial?

O auxílio emergencial é um benefício financeiro oferecido pelo Governo Federal, no valor de R$ 600,00 ou R$ 1.200,00 destinado para os trabalhadores, e tem como objetivo proporcionar proteção emergencial no período de pandemia.

O valor de R$ 1.200,00 é exclusivo para mulheres chefes de família, onde a família seja monoparental, ou seja, uma família formada por 1 dos pais e seus filhos (menores de 18 anos).

O auxílio é pago por 3 meses consecutivos para até 2 pessoas da mesma família.

É importante ressaltar que mesmo se a família for composta por mais de dois familiares, não é possível receber mais de 2 auxílios.

Quem tem direito ao auxílio emergencial?

Para poder solicitar e ter sua análise aprovada é importante cumprir todos os requisitos obrigatórios.

Veja a seguir todos os requisitos:

  • Ter idade mínima de 18 anos, ou seja, ser maior de idade
  • Ser contribuinte individual da Previdência Social – INSS
  • Trabalhador informal (desempregado, empregado ou autônomo)
  • Ser microempreendedor individual – MEI

Como por exemplo: artesão, ambulante, doceira, feirante, diaristas, entre outros.

Outro requisito é pertencer a família onde a renda mensal não exceda meio salário mínimo R$ 522,50 por pessoa, ou cujo a renda familiar total seja de até 3 salários mínimos R$ 3.135,00.

Quem não tem direito ao auxílio emergencial?

Se você cumpre algum dos requisitos listados acima, fique atento nas informações a seguir!

Pois mesmo cumprindo um dos requisitos você pode acabar não tendo o direito ao auxílio, como por exemplo, uma pessoa desempregada que recebe o seguro desemprego não tem o direito de receber o benefício.

Veja a seguir quem não tem direito ao auxílio emergencial:

  • Quem tem emprego formal ativo, trabalho com carteira assinada
  • Pessoas que estão recebendo seguro desemprego, assistenciais ou benefícios de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família
  • Quem estiver recebendo outros benefícios previdenciários, como, aposentadoria, Benefícios de Prestação Continuada – BPC e seguro desemprego
  • Teve rendimentos tributários acima do teto de R$ 28.559.70 no ano de 2018, conforme a declaração do Imposto de Renda

Como solicitar o auxílio emergencial

Se você atende todos os requisitos e tem o direito de receber o benefício, fique atento e saiba como solicitar o auxílio, já que existem 2 formas de realizar a solicitação, veja a seguir:

  1. Quem está cadastrado no Cadastro Único – CadÚnico, ou recebe o Bolsa Família, não precisa ficar preocupado em se cadastrar no auxílio emergencial, pois isso é feito automaticamente, caso você tenha o direito de receber o auxílio.
  2. As pessoas que não estão cadastradas no CadÚnico ou no Bolsa Família, mas que ainda sim têm o direito de receber o auxílio, deverão se cadastrar através do site ou do aplicativo.

Para famílias que recebem o Bolsa Família e tem o direito, e mesmo assim não receberam o benefício, devem se cadastrar pelo site ou aplicativo.

Passo a passo de como solicitar o auxílio emergencial

A solicitação é feita online, através do site ou do aplicativo (Android e IOS) disponibilizados pela Caixa, veja a seguir:

  • Acesse o site ou o aplicativo Android ou IOS
  • Leia os termos e assinale em concordo e autorize o acesso dos seus dados para validar as informações
  • Logo após, preencha o cadastro com os seus dados, como: CPF, nome completo, data de nascimento e nome da mãe
  • Após confirmar, coloque o número do seu celular e informe sua operadora
  • Em seguida você receberá um código de verificação por SMS
  • Após a verificação, outras informações complementares serão solicitadas, como: renda, ramo de atividade, estado, cidade, quantidade de membros na família, se é mulher chefe de família, entre outros
  • Marque como gostaria de receber o auxílio, por meio de uma conta já existente na Caixa Econômica Federal ou entra outra instituição bancária ou pela Poupança Social Digital da Caixa, que é gratuita
  • Se optar pela opção 1 coloque os dados do banco escolhido, se optar pela opção dois coloque o número do seu RG ou CNH

É importante verificar com cuidado todos os dados fornecidos, pois depois de confirmado não tem como alterá-los.

Resultados da solicitação do auxílio emergencial

É importante ressaltar que se caso o resultado da sua solicitação for Benefício não aprovado, uma nova solicitação pode ser feita ou a contestação do resultado do mesmo, ou seja, o motivo da não aprovação.

Se caso a resposta for dados inconclusivos, a melhor opção é fazer uma nova solicitação, é importante ficar atento, pois os principais motivos para as inclusões são:

  • Não informar o sexo (feminino/masculino)
  • Assinalar ser chefe de família sem indicar nenhum membro da família
  • Dados incorretos de membros da família, como data de nascimento e CPF
  • Divergência no cadastro dos outros membros da família
  • Indicar membro da família já falecido
  • Ser servidor público

Se a sua solicitação foi aprovada, é só aproveitar!

Para verificar o calendário de pagamento, clique aqui.

 

 

Deixe um comentário